15 de abril
Dicas
70 visualizações

O caminho para o Sucesso – com Equipes de Desenvolvimento de Software

Existem aspectos que considero aspectos chave para chegar ao sucesso com equipes de desenvolvimento de software:

  • Cultura de confiança e incentivo à comunicação
  • Pessoas capacitadas e motivadas
  • Sprints de 2 semanas, com reuniões de alinhamento
  • Ferramentas adequadas para trabalho, controle e métrica

Não se constrói um prédio, com um pedreiro só…

Full Stack é um nome que inventaram pra contratar só você e te ver bater no peito fazendo tudo sozinho. Sim, já fui um time de uma pessoa. É por isso que tenho minha própria opinião formada sobre Sucesso com Equipes de Desenvolvimento de Software.

Já tive chefes e clientes que vivem frustrados, mas não por maldade. Um prazo inicial é estabelecido (ex: 45 dias úteis) compreendendo os requisitos iniciais, e ao passar dos dias, são adicionadas alterações na composição inicial e novos requisitos. Chefes e clientes são assim por não ter a noção da força de trabalho e tempo, restrições e variáveis para as entregas a cada simples mudança da composição inicial.

E não é difícil encontrar empresas com setores minúsculos voltados para a manutenção tecnológica, dedicando muitas vezes menos de 10% de seu investimento para os funcionários internos da T.I. e terceirizando seus sistemas de gestão.

Dono do Produto reclama de atraso desde o primeiro dia?

Ser flexível e permitir todo tipo de mudança pode causar uma boa impressão, mas deixa o cliente mal acostumado, com a sensação de que o projeto estará sempre atrasado. As perspectivas mudam e ambos, tanto chefe quanto cliente, continuam exigindo atualizações em espaços de tempo para um desenvolvedor, que nem uma equipe daria conta, quanto mais o único desenvolvedor o qual contrataram, criando um ambiente totalmente contraproducente e tóxico

Portanto, para evitar o sentimento de atraso permanente, pense muito bem ao acatar solicitações logo após a confirmação dos requisitos. Defina uma data realista e segura para entrega do escopo inicial completo. Daí sim, após esse prazo, permita novas solicitações.

Dilemas e complicadores na prática

  • Usar um framework popular ou criar um novo
  • Decidir entre criar um componente novo ou utilizar um plugin
  • Criar código bem arquitetado para facilitar a manutenção e reutilização, ou apenas um paleativo
  • Codificar em tudo em inglês ou na língua nativa
  • Ter que resolver erros e contornar problemas ainda sem solução conhecida
  • Configurar e manter um fluxo consistente de teste e deploy
  • Melhores práticas arquiteturais ou solução isolada?
  • Questão de gosto pessoal: perfeito pra daqui um ano, ou razoável pra daqui um mês?

O dilema dos componentes prontos

É necessário capturar a perspectiva realista do profissional atuando naquela funcionalidade e distribuir tarefas em sprints. O profissional irá analisar quais componentes já existem disponíveis internamente ou no mercado e analisar sua aplicação no projeto a ser executado. Observe ainda que os componentes prontos, em sua maioria, priorizam a adaptação, em detrimento do desempenho.

Um aspecto negativo de componentes prontos pode ser o seu peso. Ao utilizar um componente pronto do composer ou npm, por exemplo. Ou até mesmo a simples utilização do Bootstrap, tende a superfaturar o custo para carregamento de uma página. Isso quer dizer que, em prol de uma performance superior, é necessário criar componentes próprios, apenas com os scripts essenciais para entrega da funcionalidade. Além dessa preocupação na criação, é preciso auditar constantemente e observar as métricas com uma ferramenta como Lighthouse, no navegador.

Confie nos seus veteranos

Ter um time experiente é a chave. A partir da perspectiva de um desenvolvedor veterano, por exemplo, é possível saber o que se passa nas trincheiras da rotina de desenvolvimento e obter informações reais sobre o que realmente funciona e o que só faz sentido na teoria, enquanto na prática, sem eficácia. Veteranos possuem vivência prática, conhecem diferentes lideranças e conhecem diferentes formas de lidar com problemas. O profissional veterano já lidou com o sucesso e o fracasso.

Mas nem tudo são flores… Não adianta ter dez anos de experiência, se são dez anos cometendo os mesmos erros, por ter aprendido errado. Trabalhar com T.I. é ter paixão pelo estudo constante, perceber as tendências e receber a mudança de braços abertos.

Escolha bem quem vai estar no barco

Comentários:

Um pouco sobre o autor

Matteus Barbosa - Desenvolvedor Web
                               
Trabalho como Desenvolvedor web desde 2013 e atualmente faço parte do quadro da Symplicity. Também atuo em projetos como profissional autônomo. Para saber da minha experiência, acesse meu Currículo, meu Portfólio, a relação de Referências de Clientes ou ainda a Lista de Serviços. As propostas de serviço são iniciadas com conversas informais, seguidas da coleta de requisitos, elaboração do cronograma e por fim a proposta de orçamento. Todas as etapas são acompanhados de perto via ferramenta online e videoconferências. Os pagamentos são registrados com entrega de notas fiscais. Presto serviços de projeto, desenvolvimento e manutenção de sistemas baseados nos mais diversos frameworks.